O que é Wicca?

Este artigo de hoje, é dedicado aos não wiccannos e aqueles que ainda estão no comecinho, indecisos sobre a Wicca. Além de informar sobre o que vem a ser a Wicca, ao mesmo tempo é para tirar estereótipos da religião propriamente dita e do povo da Deusa.

A Wicca





A palavra Wicca, vem do inglês antigo ‘wiccian’, e  antes da popularização do termo Wicca na década de 60 e 70 pelos praticantes da época, o termo era WitchCraft, uma definição mais histórica e ampla. Ainda atualmente é conhecido como WitchCraft ou The Craft.
Os praticantes da Wicca, são conhecidos como wiccanos, wiccans, wiccanianos ou wiccanianas. Até mesmo ‘bruxo’ pode ser aplicado ao praticante da Religião – tendo em mente que todo wiccanno é bruxo, mas nem todo bruxo é wiccanno.
A Wicca têm sua base em crenças pré-cristãs (ainda não batizada e remodulada por Gardner como conhecemos hoje), no cerne Céltico, na Europa Ocidental de mais de 1.500 anos a.C. Naquela época, dentro da sociedade Céltica, existiam os Druidas. Estes eram a estirpe da sociedade céltica, porém suas práticas e ritos eram privados e secretos. Somente um iniciado teria acesso as informações ritualísticas e tudo o mais. Com o passar do tempo, estas práticas foram passando para o popular e mais e mais pessoas foram tendo acesso às informações sobre o Mistério Sagrado. A partir de então, passou-se a ter 'duas vertentes' do paganismo dentro daquela sociedade: os Druidas e os Celtas (diferentes do primeiro, por ser mais popular e composto de rituais mais simples de serem praticados. Também cheio de receitas de bolos, biscoitos – comida de poder – caseiros). Isso nas imediações da região de Gales.
Muitos séculos depois, após a repressão da Igreja católica e quando a religião não precisou mais ficar se escondendo, em pleno século XX (meados da década de 30), Gardner resolve fazer um estudo antropológico com um coven de bruxas da Inglaterra (com práticas neo-pagãs com origens de bruxaria), que permitiram que ele participasse dos ritos, cerimônias e deram à ele, informações importantíssimas que vieram a fazê-lo fundar o que hoje conhecemos como Wicca (e fica confirmado que além desta, a Wicca possui referências Da Golden Dawn, Rosa Cruz, Maçonaria e quem sabe mais alguma outra ordem ocultista). Foi iniciado em 1939 pela New Forest Coven.
Em 1950, é revogada uma Lei de Feitiçaria de 1735, que permitiram bruxos propagar suas próprias versões da Arte (até então a religião era restrita ao cerne familiar), outras práticas, não eram divulgadas e pouco se tinha conhecimento.
Gardner recolheu todo o material que precisou e publicou um livro em 1954, A Bruxaria Hoje e em 1959 O Significado da Bruxaria. Fatos que só foram possíveis depois da revogação da Lei e que, fizeram com que a Wicca ficasse conhecida em várias regiões Britânicas, ao alcance de todos e sua tradição (Gardneriana) passou a ser dominante.
Com a morte de Gardner em 1964, a religião continuou com sua propagação em outras regiões, mesmo com as críticas negativas dos tablóides Britânicos, principalmente por Alex Sanders, fundador da tradição Alexandrina – baseada na Gardneriana, embora mais cerimonial. O termo Wicca passou a ser utilizado ao lado do termo ‘bruxaria’ e suas crenças e tradições foram exportadas para países como Austrália e Estados Unidos.
Nos EUA, novas tradições da Wicca foram surgindo, misturadas com culturas folk regionais ou até mesmo com Gardner, gerando diversas formas de Wicca como o Dianismo de Zsuzsanna Budapest, cada uma delas enfatizando cada aspecto da religião. Depois muitos livros na década de 70 foram publicados, ensinando iniciações não-formais e incentivou muitos bruxos. Estes livros também popularizaram a auto-iniciação da Arte, como o livro Wicca: Um guia para o praticante solitário, de Doreen Valiente, Janet Farrar, Stewart Farrar e Scott Cunningham.

Resumindo

Wicca é uma religião neo-pagã, com bases em época pré-cristã. É politeísta e matrifocal, cultuando em sua grande maioria de tradições, um Deus e uma Deusa. Celebra uma Roda do Ano de períodos Sazonais, os Sabbats (plantio e colheia), dividida em oito partes, correspondentes aos Solstícios e Equinócios. Esta Roda do Ano está baseada em um calendário Lunar de 28 Luas (o que corresponde a 1 ano + 1 dia do calendário Maia). Cultua a Deusa nos Esbats (por isso matrifocal) geralmente em Lua Cheia e Negra, mensalmente.

Origens: Xamã, Celta, pagã.

Texto por: Amanda Carvalho

Referências
Wikipedia, Wicca. http://pt.wikipedia.org/wiki/Wicca
Artigos Online.

Amanda de Ishtar

Amanda ou Tara (nome mágico), 27 anos e autoiniciada Wicca. Bruxa solitária e amante dos Celtas. No dia a dia é designer, geek, ama livros, Harry Potter, Mario Bros e Adventure Time.

2 comentários:

  1. oi Amanda!
    não entendo muito do assunto, mas achei o blog muito legal!
    parabéns pela dedicação e espero que faça muito sucesso!
    beijos

    ResponderExcluir
  2. Obrigada flor!! Adorei sua visitinha aqui!!

    ResponderExcluir

Instagram